Archive for the ‘Up: Altas Aventuras’ Category

Veja o primeiro "Upisódio" dublado com Russel e Carl

Julho 13, 2009
Faltando poucos minutos para o aniversário de 7 anos do Planeta Disney, trazemos com exclusividade para todos vocês o primeiro episódio da divertida série feita para divulgar o 10º longa-metragem de animação da Pixar Animation Studios, “UP: Altas Aventuras“. A série chamada “UPsiódios” já pode ser vista dublada e já começa com uma divertida história que vale a pena conferir.

UP: Altas Aventuras” conta a história de Carl, um senhor idoso que passou toda a sua vida sonhando em explorar o planeta e viver plenamente a vida. Porém, aos 78 anos de idade, a oportunidade parece ter passado por ele até que uma reviravolta do destino e um persistente explorador da natureza de oito anos chamado Russell lhe dão uma segunda chance na vida.

Nos Estados Unidos, “UP: Altas Aventuras” já se encontra em cartaz nos cinemas e já é considerado o segundo longa mais visto do ano. No Brasil, a estréia nos cinemas acontece apenas no dia 04 de Setembro, usando a tecnologia Disney Digital 3D.


PRIMEIRO “UPISÓDIO”

[UP: Altas Aventuras] UPisódio 01


Link: http://videolog.uol.com.br/video.php?id=459597

Anúncios

[Top 10 EUA] "A Proposta" permanece em terceiro lugar no fim de semana

Julho 7, 2009

Mais uma semana concorrida nas bilheterias do fim de semana norte-americano. Surpreendentemente, a comédia-romântica dos estúdios Disney, “A Proposta” se manteve em terceiro lugar, já que um caso interessante aconteceu, a animação “A Era do Gelo 3” e o filme de ação “Transformers: A Vingança dos Derrotados” empataram no feriado de 4 de Julho (Dia da Independência).

A terceira aventura da animação dirigida pelo brasileiro Carlos Saldanha obteve 42,5 milhões de dólares em seu fim de semana de estréia, o mesmo que “Transformers” conseguiu em sua segunda semana em cartaz nos cinemas, tendo uma queda de 61%. Em segundo lugar ficou o filme “Inimigos Públicos” estrelado por Johnny Depp e que é uma adaptação do livro de não-ficção Public Enemies: America’s Greatest Crime Wave and the Birth of the FBI, 1933-34, de Brian Burrough, sobre o período imediatamente posterior à quebra da Bolsa de Nova York em 1929.

Em terceiro lugar ficou “A Proposta“, estrelada por Sandra Bullock e Ryan Reynolds, fez mais 13 milhões e se aproxima dos 100 milhões. Seguido de “Se Beber Não Case“, que conseguiu mais 10 milhões. Fechando o top 5 ficou a animação “UP: Altas Aventuras“, que soma 264 milhões, se tornando o segundo maior filme do ano nos Estados Unidos. A animação da Pixar estréia apenas em Setembro no Brasil.

A Proposta” estréia essa sexta-feira (10) nos cinemas brasileiros e conta a história de uma uma chefe de cozinha canadense (Sandra Bullock), que para não ser deportada para o seu país de origem, precisa fingir um casamento com seu jovem assistente (Ryan Reynold). A direção é de Anne Fletcher (“Vestida Para Casar“) e o longa-metragem traz também em seu elenco nomes como os de Craig T. Nelson, Mary Steenburgen, Aasif Mandvi e Malin Akerman. Abaixo segue os 10 filmes mais vistos no fim de semana.

01. A Era do Gelo 3
01. Transformers: A Vingança dos Derrotados
02. Inimigos Públicos
03. A Proposta
04. Se Beber Não Case
05. Up – Altas Aventuras
06. My Sister’s Keeper
07. O Sequestro do Metrô
08. Uma Noite no Museu 2
09. Ano Um
10. Star Trek

[Top 10 EUA] "A Proposta" permanece em terceiro lugar no fim de semana

Julho 7, 2009

Mais uma semana concorrida nas bilheterias do fim de semana norte-americano. Surpreendentemente, a comédia-romântica dos estúdios Disney, “A Proposta” se manteve em terceiro lugar, já que um caso interessante aconteceu, a animação “A Era do Gelo 3” e o filme de ação “Transformers: A Vingança dos Derrotados” empataram no feriado de 4 de Julho (Dia da Independência).

A terceira aventura da animação dirigida pelo brasileiro Carlos Saldanha obteve 42,5 milhões de dólares em seu fim de semana de estréia, o mesmo que “Transformers” conseguiu em sua segunda semana em cartaz nos cinemas, tendo uma queda de 61%. Em segundo lugar ficou o filme “Inimigos Públicos” estrelado por Johnny Depp e que é uma adaptação do livro de não-ficção Public Enemies: America’s Greatest Crime Wave and the Birth of the FBI, 1933-34, de Brian Burrough, sobre o período imediatamente posterior à quebra da Bolsa de Nova York em 1929.

Em terceiro lugar ficou “A Proposta“, estrelada por Sandra Bullock e Ryan Reynolds, fez mais 13 milhões e se aproxima dos 100 milhões. Seguido de “Se Beber Não Case“, que conseguiu mais 10 milhões. Fechando o top 5 ficou a animação “UP: Altas Aventuras“, que soma 264 milhões, se tornando o segundo maior filme do ano nos Estados Unidos. A animação da Pixar estréia apenas em Setembro no Brasil.

A Proposta” estréia essa sexta-feira (10) nos cinemas brasileiros e conta a história de uma uma chefe de cozinha canadense (Sandra Bullock), que para não ser deportada para o seu país de origem, precisa fingir um casamento com seu jovem assistente (Ryan Reynold). A direção é de Anne Fletcher (“Vestida Para Casar“) e o longa-metragem traz também em seu elenco nomes como os de Craig T. Nelson, Mary Steenburgen, Aasif Mandvi e Malin Akerman. Abaixo segue os 10 filmes mais vistos no fim de semana.

01. A Era do Gelo 3
01. Transformers: A Vingança dos Derrotados
02. Inimigos Públicos
03. A Proposta
04. Se Beber Não Case
05. Up – Altas Aventuras
06. My Sister’s Keeper
07. O Sequestro do Metrô
08. Uma Noite no Museu 2
09. Ano Um
10. Star Trek

[Top 10 EUA] Comédia romantica da Disney é desbancada por robos gigantes

Junho 29, 2009


Nesse fim de semana, não teve para ninguém. “
Transformers: A Vingança dos Derrotados(Transformers: Revenge of the Fallen) de Michael Bay conseguiu faturar de quarta (24) até hoje (28) uma media de 200 milhões de dólares. Além disso, fora do país, o filme já está em cartaz em 58 países e conseguiu arrecadar 162 milhões de dólares, somando um total de 363,2 milhões mundialmente. Caindo para a segunda posição em sua segunda semana em cartaz, a comédia-romântica dos estúdios Disney, “A Proposta“, que acumulou cerca de mais 18 milhões e se aproxima dos 70 milhões em dez dias.

A terceira posição foi da comédia “Se Beber Não Case“, seguida pela animação “UP: Altas Aventuras“, da Disney/Pixar, que atingiu 250 milhões, quantia que coloca o filme na primeira colocação no ranking dos maiores do ano em 2009 nos EUA, superando até mesmo “Star Trek“, que se encontra em segundo lugar.


Estrelada por Sandra Bullock e Ryan Reynolds o longa contará a história de uma uma chefe de cozinha canadense (Sandra Bullock), que para não ser deportada para o seu país de origem, precisa fingir um casamento com seu jovem assistente (Ryan Reynold). A direção é de Anne Fletcher (“Vestida Para Casar“) e o longa-metragem traz também em seu elenco nomes como os de Craig T. Nelson, Mary Steenburgen, Aasif Mandvi e Malin Akerman. A estréia de A Proposta” (The Proposal) no Brasil acontece apenas no dia 10 de Julho.

Confira abaixo a lista com os 10 filmes mais assistidos no fim de semana norte-americano:

01. Transformers: A Vingança dos Derrotados
02. A Proposta
03. Se Beber Não Case
04. UP: Altas Aventuras
05. My Sister’s Keeper
06. Ano Um
07. O Sequestro do Metrô
08. Star Trek
09. Uma Noite no Museu 2
10. Away We Go

[Top 10 EUA] Comédia romantica da Disney é desbancada por robos gigantes

Junho 29, 2009


Nesse fim de semana, não teve para ninguém. “
Transformers: A Vingança dos Derrotados(Transformers: Revenge of the Fallen) de Michael Bay conseguiu faturar de quarta (24) até hoje (28) uma media de 200 milhões de dólares. Além disso, fora do país, o filme já está em cartaz em 58 países e conseguiu arrecadar 162 milhões de dólares, somando um total de 363,2 milhões mundialmente. Caindo para a segunda posição em sua segunda semana em cartaz, a comédia-romântica dos estúdios Disney, “A Proposta“, que acumulou cerca de mais 18 milhões e se aproxima dos 70 milhões em dez dias.

A terceira posição foi da comédia “Se Beber Não Case“, seguida pela animação “UP: Altas Aventuras“, da Disney/Pixar, que atingiu 250 milhões, quantia que coloca o filme na primeira colocação no ranking dos maiores do ano em 2009 nos EUA, superando até mesmo “Star Trek“, que se encontra em segundo lugar.


Estrelada por Sandra Bullock e Ryan Reynolds o longa contará a história de uma uma chefe de cozinha canadense (Sandra Bullock), que para não ser deportada para o seu país de origem, precisa fingir um casamento com seu jovem assistente (Ryan Reynold). A direção é de Anne Fletcher (“Vestida Para Casar“) e o longa-metragem traz também em seu elenco nomes como os de Craig T. Nelson, Mary Steenburgen, Aasif Mandvi e Malin Akerman. A estréia de A Proposta” (The Proposal) no Brasil acontece apenas no dia 10 de Julho.

Confira abaixo a lista com os 10 filmes mais assistidos no fim de semana norte-americano:

01. Transformers: A Vingança dos Derrotados
02. A Proposta
03. Se Beber Não Case
04. UP: Altas Aventuras
05. My Sister’s Keeper
06. Ano Um
07. O Sequestro do Metrô
08. Star Trek
09. Uma Noite no Museu 2
10. Away We Go

[Top 10 EUA] Comédia romantica da Disney é desbancada por robos gigantes

Junho 29, 2009


Nesse fim de semana, não teve para ninguém. “
Transformers: A Vingança dos Derrotados(Transformers: Revenge of the Fallen) de Michael Bay conseguiu faturar de quarta (24) até hoje (28) uma media de 200 milhões de dólares. Além disso, fora do país, o filme já está em cartaz em 58 países e conseguiu arrecadar 162 milhões de dólares, somando um total de 363,2 milhões mundialmente. Caindo para a segunda posição em sua segunda semana em cartaz, a comédia-romântica dos estúdios Disney, “A Proposta“, que acumulou cerca de mais 18 milhões e se aproxima dos 70 milhões em dez dias.

A terceira posição foi da comédia “Se Beber Não Case“, seguida pela animação “UP: Altas Aventuras“, da Disney/Pixar, que atingiu 250 milhões, quantia que coloca o filme na primeira colocação no ranking dos maiores do ano em 2009 nos EUA, superando até mesmo “Star Trek“, que se encontra em segundo lugar.


Estrelada por Sandra Bullock e Ryan Reynolds o longa contará a história de uma uma chefe de cozinha canadense (Sandra Bullock), que para não ser deportada para o seu país de origem, precisa fingir um casamento com seu jovem assistente (Ryan Reynold). A direção é de Anne Fletcher (“Vestida Para Casar“) e o longa-metragem traz também em seu elenco nomes como os de Craig T. Nelson, Mary Steenburgen, Aasif Mandvi e Malin Akerman. A estréia de A Proposta” (The Proposal) no Brasil acontece apenas no dia 10 de Julho.

Confira abaixo a lista com os 10 filmes mais assistidos no fim de semana norte-americano:

01. Transformers: A Vingança dos Derrotados
02. A Proposta
03. Se Beber Não Case
04. UP: Altas Aventuras
05. My Sister’s Keeper
06. Ano Um
07. O Sequestro do Metrô
08. Star Trek
09. Uma Noite no Museu 2
10. Away We Go

Tem animador brasileiro trabalhando na Pixar. Confira a entrevista.

Junho 24, 2009
Desde pequeno ele já demonstrava talento em desenhar e foi “Toy Story” que despertou seu interesse pela animação. Depois de se mudar para os Estados Unidos, conseguiu um estágio na Pixar e hoje, aos 23 anos, o paulista Guilherme Jacinto já é um animador reconhecido do estúdio.

O Examiner de São Francisco publicou uma entrevista com o talentoso rapaz que, mesmo com a pouca idade e pouco tempo de estúdio [desde setembro de 2007], já trabalhou em “Wall-E” e “UP – Altas Aventuras” e está agora envolvido com a animação de “Toy Stoy 3”.

Na entrevista, ele conta como se envolveu no mundo da animação, a conquista de uma vaga na Pixar e o seu envolvimento no trabalho do estúdio.

Animação foi algo em que você sempre se interessou?

Eu sempre gostei de desenhar histórias em quadrinhos e coisas do tipo. Quando assisti “Toy Story” [em 1995 quando ele tinha apenas 10 anos de idade], fiquei interessado em animação. Eu não sabia como funcionava o processo mas, um tempo depois, quis estudar o assunto e acabei vindo para São Francisco fazer isso.


Quando você era mais novo, de onde tirava inspiração para o seu trabalho? De onde você tira inspiração hoje?

Eu costumava ler um monte de quadrinhos como “Homem-Aranha” e assisti vários desenhos animados e filmes, mas nada específico. Conforme fui ficando mais velho, comecei a tirar inspiração das minhas próprias experiências. Agora, ao invés de tirar referências de filmes e outras coisas, eu sempre as tiro da vida e o que quer que seja natural. Sempre baseio minhas idéias em pessoas que conheço.


Como você se juntou à Pixar?

Durante meu terceiro ano na escola eu consegui um estágio. Mandei para eles minha reel [portifólio de animadores] e eles me chamaram. Eu tive que voltar para escola por um ano para completar os estudos. Quando me formei, eles me chamaram e ofereceram um emprego.


Você era uma animador recém saído da faculdade e conseguiu um emprego na Pixar. Deve ter sido surreal para você.

É, bastante. (risadas)


O que, exatamente, você fez em “WALL-E”?

Eu fiz em “WALL-E” exatamente a mesma coisa que fiz em “UP: Nas Alturas”, que era basicamente trabalhar um pouco em cada um dos personagens. Na Pixar não fazemos cada um um único personagem. Nós trabalhamos com diferentes personagens em diferentes sequências.


Na sua opinião, qual a razão da Pixar estar sempre no topo com suas animações, à frente de outros estúdios?

Nós trabalhamos nas histórias por tanto tempo e tentamos fazer com que sejam originais. Tentamos fazer com que sejam realmente especiais e diferentes de tudo que já tenha sido feito. É tudo muito autêntico. Não é como se estivéssemos referenciando qualquer outra coisa. Não estamos tentando copiar ninguém.


Trabalhar em “UP: Nas Alturas” foi diferente da sua experiência anterior na Pixar?

Eu senti que foi muito desafiador porque o estilo de animação era diferente de tudo que eu já havia feito. Era bem mais estilizado. Trabalhei em muitos mais personagens diferentes do que já havia trabalhado antes. Tivemos que fazer muita pesquisa para ter tudo com a aparência certa.


Eu acho que a pior coisa em animações é quando a voz não combina com o personagem. Isso é uma prioridade para você como animador?

Sim, eu acho que isso é uma das coisas mais importantes no nosso trabalho. Nós queremos que pareça que o personagem está mesmo falando o que diz. Por exemplo, nós podemos assistir vídeos de Ed Asner [ator que fez a voz de Carl Fredricksen em “UP: Nas Alturas”] fazendo a dublagem [nesse processo a voz é gravada antes de ser iniciada a animação] e estudamos tudo – sua postura, como ele fala, todos os aspectos muito sutís – apenas para entender melhor como queremos fazer o personagem. Não queremos, necessariamente, copiar o ator, mas sempre tentamos encontrar um bom equilíbrio.

*Tradução de Callebe Garcia

O site Último Segundo publicou uma entrevista com o Guilherme na época do lançamento de “WALL-E” que você pode conferir clicando aqui.

Visite também o
site e o blog do Guilherme Jacinto e confira seus trabalhos e ilustrações (que são muito bacanas!).

Tem animador brasileiro trabalhando na Pixar. Confira a entrevista.

Junho 24, 2009
Desde pequeno ele já demonstrava talento em desenhar e foi “Toy Story” que despertou seu interesse pela animação. Depois de se mudar para os Estados Unidos, conseguiu um estágio na Pixar e hoje, aos 23 anos, o paulista Guilherme Jacinto já é um animador reconhecido do estúdio.

O Examiner de São Francisco publicou uma entrevista com o talentoso rapaz que, mesmo com a pouca idade e pouco tempo de estúdio [desde setembro de 2007], já trabalhou em “Wall-E” e “UP – Altas Aventuras” e está agora envolvido com a animação de “Toy Stoy 3”.

Na entrevista, ele conta como se envolveu no mundo da animação, a conquista de uma vaga na Pixar e o seu envolvimento no trabalho do estúdio.

Animação foi algo em que você sempre se interessou?

Eu sempre gostei de desenhar histórias em quadrinhos e coisas do tipo. Quando assisti “Toy Story” [em 1995 quando ele tinha apenas 10 anos de idade], fiquei interessado em animação. Eu não sabia como funcionava o processo mas, um tempo depois, quis estudar o assunto e acabei vindo para São Francisco fazer isso.


Quando você era mais novo, de onde tirava inspiração para o seu trabalho? De onde você tira inspiração hoje?

Eu costumava ler um monte de quadrinhos como “Homem-Aranha” e assisti vários desenhos animados e filmes, mas nada específico. Conforme fui ficando mais velho, comecei a tirar inspiração das minhas próprias experiências. Agora, ao invés de tirar referências de filmes e outras coisas, eu sempre as tiro da vida e o que quer que seja natural. Sempre baseio minhas idéias em pessoas que conheço.


Como você se juntou à Pixar?

Durante meu terceiro ano na escola eu consegui um estágio. Mandei para eles minha reel [portifólio de animadores] e eles me chamaram. Eu tive que voltar para escola por um ano para completar os estudos. Quando me formei, eles me chamaram e ofereceram um emprego.


Você era uma animador recém saído da faculdade e conseguiu um emprego na Pixar. Deve ter sido surreal para você.

É, bastante. (risadas)


O que, exatamente, você fez em “WALL-E”?

Eu fiz em “WALL-E” exatamente a mesma coisa que fiz em “UP: Nas Alturas”, que era basicamente trabalhar um pouco em cada um dos personagens. Na Pixar não fazemos cada um um único personagem. Nós trabalhamos com diferentes personagens em diferentes sequências.


Na sua opinião, qual a razão da Pixar estar sempre no topo com suas animações, à frente de outros estúdios?

Nós trabalhamos nas histórias por tanto tempo e tentamos fazer com que sejam originais. Tentamos fazer com que sejam realmente especiais e diferentes de tudo que já tenha sido feito. É tudo muito autêntico. Não é como se estivéssemos referenciando qualquer outra coisa. Não estamos tentando copiar ninguém.


Trabalhar em “UP: Nas Alturas” foi diferente da sua experiência anterior na Pixar?

Eu senti que foi muito desafiador porque o estilo de animação era diferente de tudo que eu já havia feito. Era bem mais estilizado. Trabalhei em muitos mais personagens diferentes do que já havia trabalhado antes. Tivemos que fazer muita pesquisa para ter tudo com a aparência certa.


Eu acho que a pior coisa em animações é quando a voz não combina com o personagem. Isso é uma prioridade para você como animador?

Sim, eu acho que isso é uma das coisas mais importantes no nosso trabalho. Nós queremos que pareça que o personagem está mesmo falando o que diz. Por exemplo, nós podemos assistir vídeos de Ed Asner [ator que fez a voz de Carl Fredricksen em “UP: Nas Alturas”] fazendo a dublagem [nesse processo a voz é gravada antes de ser iniciada a animação] e estudamos tudo – sua postura, como ele fala, todos os aspectos muito sutís – apenas para entender melhor como queremos fazer o personagem. Não queremos, necessariamente, copiar o ator, mas sempre tentamos encontrar um bom equilíbrio.

*Tradução de Callebe Garcia

O site Último Segundo publicou uma entrevista com o Guilherme na época do lançamento de “WALL-E” que você pode conferir clicando aqui.

Visite também o
site e o blog do Guilherme Jacinto e confira seus trabalhos e ilustrações (que são muito bacanas!).

Tem animador brasileiro trabalhando na Pixar. Confira a entrevista.

Junho 24, 2009
Desde pequeno ele já demonstrava talento em desenhar e foi “Toy Story” que despertou seu interesse pela animação. Depois de se mudar para os Estados Unidos, conseguiu um estágio na Pixar e hoje, aos 23 anos, o paulista Guilherme Jacinto já é um animador reconhecido do estúdio.

O Examiner de São Francisco publicou uma entrevista com o talentoso rapaz que, mesmo com a pouca idade e pouco tempo de estúdio [desde setembro de 2007], já trabalhou em “Wall-E” e “UP – Altas Aventuras” e está agora envolvido com a animação de “Toy Stoy 3”.

Na entrevista, ele conta como se envolveu no mundo da animação, a conquista de uma vaga na Pixar e o seu envolvimento no trabalho do estúdio.

Animação foi algo em que você sempre se interessou?

Eu sempre gostei de desenhar histórias em quadrinhos e coisas do tipo. Quando assisti “Toy Story” [em 1995 quando ele tinha apenas 10 anos de idade], fiquei interessado em animação. Eu não sabia como funcionava o processo mas, um tempo depois, quis estudar o assunto e acabei vindo para São Francisco fazer isso.


Quando você era mais novo, de onde tirava inspiração para o seu trabalho? De onde você tira inspiração hoje?

Eu costumava ler um monte de quadrinhos como “Homem-Aranha” e assisti vários desenhos animados e filmes, mas nada específico. Conforme fui ficando mais velho, comecei a tirar inspiração das minhas próprias experiências. Agora, ao invés de tirar referências de filmes e outras coisas, eu sempre as tiro da vida e o que quer que seja natural. Sempre baseio minhas idéias em pessoas que conheço.


Como você se juntou à Pixar?

Durante meu terceiro ano na escola eu consegui um estágio. Mandei para eles minha reel [portifólio de animadores] e eles me chamaram. Eu tive que voltar para escola por um ano para completar os estudos. Quando me formei, eles me chamaram e ofereceram um emprego.


Você era uma animador recém saído da faculdade e conseguiu um emprego na Pixar. Deve ter sido surreal para você.

É, bastante. (risadas)


O que, exatamente, você fez em “WALL-E”?

Eu fiz em “WALL-E” exatamente a mesma coisa que fiz em “UP: Nas Alturas”, que era basicamente trabalhar um pouco em cada um dos personagens. Na Pixar não fazemos cada um um único personagem. Nós trabalhamos com diferentes personagens em diferentes sequências.


Na sua opinião, qual a razão da Pixar estar sempre no topo com suas animações, à frente de outros estúdios?

Nós trabalhamos nas histórias por tanto tempo e tentamos fazer com que sejam originais. Tentamos fazer com que sejam realmente especiais e diferentes de tudo que já tenha sido feito. É tudo muito autêntico. Não é como se estivéssemos referenciando qualquer outra coisa. Não estamos tentando copiar ninguém.


Trabalhar em “UP: Nas Alturas” foi diferente da sua experiência anterior na Pixar?

Eu senti que foi muito desafiador porque o estilo de animação era diferente de tudo que eu já havia feito. Era bem mais estilizado. Trabalhei em muitos mais personagens diferentes do que já havia trabalhado antes. Tivemos que fazer muita pesquisa para ter tudo com a aparência certa.


Eu acho que a pior coisa em animações é quando a voz não combina com o personagem. Isso é uma prioridade para você como animador?

Sim, eu acho que isso é uma das coisas mais importantes no nosso trabalho. Nós queremos que pareça que o personagem está mesmo falando o que diz. Por exemplo, nós podemos assistir vídeos de Ed Asner [ator que fez a voz de Carl Fredricksen em “UP: Nas Alturas”] fazendo a dublagem [nesse processo a voz é gravada antes de ser iniciada a animação] e estudamos tudo – sua postura, como ele fala, todos os aspectos muito sutís – apenas para entender melhor como queremos fazer o personagem. Não queremos, necessariamente, copiar o ator, mas sempre tentamos encontrar um bom equilíbrio.

*Tradução de Callebe Garcia

O site Último Segundo publicou uma entrevista com o Guilherme na época do lançamento de “WALL-E” que você pode conferir clicando aqui.

Visite também o
site e o blog do Guilherme Jacinto e confira seus trabalhos e ilustrações (que são muito bacanas!).

Tem animador brasileiro trabalhando na Pixar. Confira a entrevista.

Junho 24, 2009
Desde pequeno ele já demonstrava talento em desenhar e foi “Toy Story” que despertou seu interesse pela animação. Depois de se mudar para os Estados Unidos, conseguiu um estágio na Pixar e hoje, aos 23 anos, o paulista Guilherme Jacinto já é um animador reconhecido do estúdio.

O Examiner de São Francisco publicou uma entrevista com o talentoso rapaz que, mesmo com a pouca idade e pouco tempo de estúdio [desde setembro de 2007], já trabalhou em “Wall-E” e “UP – Altas Aventuras” e está agora envolvido com a animação de “Toy Stoy 3”.

Na entrevista, ele conta como se envolveu no mundo da animação, a conquista de uma vaga na Pixar e o seu envolvimento no trabalho do estúdio.

Animação foi algo em que você sempre se interessou?

Eu sempre gostei de desenhar histórias em quadrinhos e coisas do tipo. Quando assisti “Toy Story” [em 1995 quando ele tinha apenas 10 anos de idade], fiquei interessado em animação. Eu não sabia como funcionava o processo mas, um tempo depois, quis estudar o assunto e acabei vindo para São Francisco fazer isso.


Quando você era mais novo, de onde tirava inspiração para o seu trabalho? De onde você tira inspiração hoje?

Eu costumava ler um monte de quadrinhos como “Homem-Aranha” e assisti vários desenhos animados e filmes, mas nada específico. Conforme fui ficando mais velho, comecei a tirar inspiração das minhas próprias experiências. Agora, ao invés de tirar referências de filmes e outras coisas, eu sempre as tiro da vida e o que quer que seja natural. Sempre baseio minhas idéias em pessoas que conheço.


Como você se juntou à Pixar?

Durante meu terceiro ano na escola eu consegui um estágio. Mandei para eles minha reel [portifólio de animadores] e eles me chamaram. Eu tive que voltar para escola por um ano para completar os estudos. Quando me formei, eles me chamaram e ofereceram um emprego.


Você era uma animador recém saído da faculdade e conseguiu um emprego na Pixar. Deve ter sido surreal para você.

É, bastante. (risadas)


O que, exatamente, você fez em “WALL-E”?

Eu fiz em “WALL-E” exatamente a mesma coisa que fiz em “UP: Nas Alturas”, que era basicamente trabalhar um pouco em cada um dos personagens. Na Pixar não fazemos cada um um único personagem. Nós trabalhamos com diferentes personagens em diferentes sequências.


Na sua opinião, qual a razão da Pixar estar sempre no topo com suas animações, à frente de outros estúdios?

Nós trabalhamos nas histórias por tanto tempo e tentamos fazer com que sejam originais. Tentamos fazer com que sejam realmente especiais e diferentes de tudo que já tenha sido feito. É tudo muito autêntico. Não é como se estivéssemos referenciando qualquer outra coisa. Não estamos tentando copiar ninguém.


Trabalhar em “UP: Nas Alturas” foi diferente da sua experiência anterior na Pixar?

Eu senti que foi muito desafiador porque o estilo de animação era diferente de tudo que eu já havia feito. Era bem mais estilizado. Trabalhei em muitos mais personagens diferentes do que já havia trabalhado antes. Tivemos que fazer muita pesquisa para ter tudo com a aparência certa.


Eu acho que a pior coisa em animações é quando a voz não combina com o personagem. Isso é uma prioridade para você como animador?

Sim, eu acho que isso é uma das coisas mais importantes no nosso trabalho. Nós queremos que pareça que o personagem está mesmo falando o que diz. Por exemplo, nós podemos assistir vídeos de Ed Asner [ator que fez a voz de Carl Fredricksen em “UP: Nas Alturas”] fazendo a dublagem [nesse processo a voz é gravada antes de ser iniciada a animação] e estudamos tudo – sua postura, como ele fala, todos os aspectos muito sutís – apenas para entender melhor como queremos fazer o personagem. Não queremos, necessariamente, copiar o ator, mas sempre tentamos encontrar um bom equilíbrio.

*Tradução de Callebe Garcia

O site Último Segundo publicou uma entrevista com o Guilherme na época do lançamento de “WALL-E” que você pode conferir clicando aqui.

Visite também o
site e o blog do Guilherme Jacinto e confira seus trabalhos e ilustrações (que são muito bacanas!).