Archive for the ‘A Proposta’ Category

[A Proposta] DESCOBRINDO O ALASCA EM MASSACHUSETTS

Julho 11, 2009
Cineastas Levam Produção
para Massachusetts
Texto: Walt Disney Brasil

Exceto pelos dias de cenas externas em Nova York, A Proposta (The Proposal) foi rodado quase que inteiramente no estado de Massachusetts. Os cineastas ficaram satisfeitos de achar ótimas locações no litoral rochoso de Boston, nas cidades de Rockport, Manchester-by-the-Sea e Gloucester, e em Cape Ann − todas necessitando de ajustes relativamente pequenos para se transformarem na pequena cidade de Sitka, no Alasca.

O roteiro dizia que a história se passava em Sitka, porque Pete, o escritor, passou um verão lá e conhecia a cidade bastante bem”, conta o produtor Lieberman. “Eu achei que seria um ótimo cenário que nunca tínhamos visto antes, especialmente em uma comédia.

Embora as locações em Massachusetts fossem extraordinárias, o desenhista de produção Nelson Coates teve muito trabalho. “Anne e eu queríamos dar uma sensação de Alasca como se você estivesse realmente lá, tornando-o evocativo em vez de tentar fazer uma cópia exata”, explica Coates. “Mas, para transformar a cidade de Rockport em Sitka, nós tivemos que lidar com quase 30 fachadas de lojas, com as vitrines decoradas e placas; foi bem extenso. Pareceu mais como se estivéssemos trabalhando em um filme de época no qual você tem que cobrir muitas coisas para dar o estilo do lugar.

Um dos grandes achados dos cineastas foi a magnífica casa na costa em Manchester-by-the-Sea que se tornaria a propriedade dos Paxton. Foram necessários poucos ajustes quanto à decoração do interior da casa, com exceção da compra de artes das primeiras tribos aborígenes do lugar, incluindo totens e a construção de uma área sobre uma enorme piscina que se tornaria o local do casamento de Margaret e Andrew.

Uma das coisas muito especiais sobre aquela parte do mundo, da Columbia Britânica até Panhandle do Alasca, são as primeiras tribos aborígenes”, diz Coates. “No início, Anne e eu falamos sobre incorporar pinturas e entalhes muito específicos porque o personagem de Betty White tinha origem Tlingit.

Mas o interior da casa construída no início do século 20 e destacada por uma decoração viva dos primórdios da América, provou ser desafiante. Usando a planta existente, Coates desenhou novos quartos com madeiras de cores escuras e paredes de pedra com uma lareira que acabou sendo mais semelhante as do noroeste do Pacífico.

Uma das coisas que torna essa área de Massachusetts tão parecida com o Alasca e um ótimo lugar para se filmar é a costa rochosa e a sensação de isolamento que se tem em algumas das casas”, conta Coates. “Uma vez que quase três semanas de filmagem aconteceram na casa dos Paxton, nós precisávamos dar a sensação de que ela ficava numa ilha e esta casa fica em uma península, então nós temos a sensação da água. E por causa da natureza rochosa da costa, temos a sensação de que ela fica em Sitka onde muitas montanhas ficam dentro d’água.” Os cineastas fizeram a ponte entre o exterior de Massachusetts com a Sitka real viajando para o Alasca para capturar a linha de árvores e as montanhas.

Anúncios

[A Proposta] DESCOBRINDO O ALASCA EM MASSACHUSETTS

Julho 11, 2009
Cineastas Levam Produção
para Massachusetts
Texto: Walt Disney Brasil

Exceto pelos dias de cenas externas em Nova York, A Proposta (The Proposal) foi rodado quase que inteiramente no estado de Massachusetts. Os cineastas ficaram satisfeitos de achar ótimas locações no litoral rochoso de Boston, nas cidades de Rockport, Manchester-by-the-Sea e Gloucester, e em Cape Ann − todas necessitando de ajustes relativamente pequenos para se transformarem na pequena cidade de Sitka, no Alasca.

O roteiro dizia que a história se passava em Sitka, porque Pete, o escritor, passou um verão lá e conhecia a cidade bastante bem”, conta o produtor Lieberman. “Eu achei que seria um ótimo cenário que nunca tínhamos visto antes, especialmente em uma comédia.

Embora as locações em Massachusetts fossem extraordinárias, o desenhista de produção Nelson Coates teve muito trabalho. “Anne e eu queríamos dar uma sensação de Alasca como se você estivesse realmente lá, tornando-o evocativo em vez de tentar fazer uma cópia exata”, explica Coates. “Mas, para transformar a cidade de Rockport em Sitka, nós tivemos que lidar com quase 30 fachadas de lojas, com as vitrines decoradas e placas; foi bem extenso. Pareceu mais como se estivéssemos trabalhando em um filme de época no qual você tem que cobrir muitas coisas para dar o estilo do lugar.

Um dos grandes achados dos cineastas foi a magnífica casa na costa em Manchester-by-the-Sea que se tornaria a propriedade dos Paxton. Foram necessários poucos ajustes quanto à decoração do interior da casa, com exceção da compra de artes das primeiras tribos aborígenes do lugar, incluindo totens e a construção de uma área sobre uma enorme piscina que se tornaria o local do casamento de Margaret e Andrew.

Uma das coisas muito especiais sobre aquela parte do mundo, da Columbia Britânica até Panhandle do Alasca, são as primeiras tribos aborígenes”, diz Coates. “No início, Anne e eu falamos sobre incorporar pinturas e entalhes muito específicos porque o personagem de Betty White tinha origem Tlingit.

Mas o interior da casa construída no início do século 20 e destacada por uma decoração viva dos primórdios da América, provou ser desafiante. Usando a planta existente, Coates desenhou novos quartos com madeiras de cores escuras e paredes de pedra com uma lareira que acabou sendo mais semelhante as do noroeste do Pacífico.

Uma das coisas que torna essa área de Massachusetts tão parecida com o Alasca e um ótimo lugar para se filmar é a costa rochosa e a sensação de isolamento que se tem em algumas das casas”, conta Coates. “Uma vez que quase três semanas de filmagem aconteceram na casa dos Paxton, nós precisávamos dar a sensação de que ela ficava numa ilha e esta casa fica em uma península, então nós temos a sensação da água. E por causa da natureza rochosa da costa, temos a sensação de que ela fica em Sitka onde muitas montanhas ficam dentro d’água.” Os cineastas fizeram a ponte entre o exterior de Massachusetts com a Sitka real viajando para o Alasca para capturar a linha de árvores e as montanhas.

[A Proposta] DESCOBRINDO O ALASCA EM MASSACHUSETTS

Julho 11, 2009
Cineastas Levam Produção
para Massachusetts
Texto: Walt Disney Brasil

Exceto pelos dias de cenas externas em Nova York, A Proposta (The Proposal) foi rodado quase que inteiramente no estado de Massachusetts. Os cineastas ficaram satisfeitos de achar ótimas locações no litoral rochoso de Boston, nas cidades de Rockport, Manchester-by-the-Sea e Gloucester, e em Cape Ann − todas necessitando de ajustes relativamente pequenos para se transformarem na pequena cidade de Sitka, no Alasca.

O roteiro dizia que a história se passava em Sitka, porque Pete, o escritor, passou um verão lá e conhecia a cidade bastante bem”, conta o produtor Lieberman. “Eu achei que seria um ótimo cenário que nunca tínhamos visto antes, especialmente em uma comédia.

Embora as locações em Massachusetts fossem extraordinárias, o desenhista de produção Nelson Coates teve muito trabalho. “Anne e eu queríamos dar uma sensação de Alasca como se você estivesse realmente lá, tornando-o evocativo em vez de tentar fazer uma cópia exata”, explica Coates. “Mas, para transformar a cidade de Rockport em Sitka, nós tivemos que lidar com quase 30 fachadas de lojas, com as vitrines decoradas e placas; foi bem extenso. Pareceu mais como se estivéssemos trabalhando em um filme de época no qual você tem que cobrir muitas coisas para dar o estilo do lugar.

Um dos grandes achados dos cineastas foi a magnífica casa na costa em Manchester-by-the-Sea que se tornaria a propriedade dos Paxton. Foram necessários poucos ajustes quanto à decoração do interior da casa, com exceção da compra de artes das primeiras tribos aborígenes do lugar, incluindo totens e a construção de uma área sobre uma enorme piscina que se tornaria o local do casamento de Margaret e Andrew.

Uma das coisas muito especiais sobre aquela parte do mundo, da Columbia Britânica até Panhandle do Alasca, são as primeiras tribos aborígenes”, diz Coates. “No início, Anne e eu falamos sobre incorporar pinturas e entalhes muito específicos porque o personagem de Betty White tinha origem Tlingit.

Mas o interior da casa construída no início do século 20 e destacada por uma decoração viva dos primórdios da América, provou ser desafiante. Usando a planta existente, Coates desenhou novos quartos com madeiras de cores escuras e paredes de pedra com uma lareira que acabou sendo mais semelhante as do noroeste do Pacífico.

Uma das coisas que torna essa área de Massachusetts tão parecida com o Alasca e um ótimo lugar para se filmar é a costa rochosa e a sensação de isolamento que se tem em algumas das casas”, conta Coates. “Uma vez que quase três semanas de filmagem aconteceram na casa dos Paxton, nós precisávamos dar a sensação de que ela ficava numa ilha e esta casa fica em uma península, então nós temos a sensação da água. E por causa da natureza rochosa da costa, temos a sensação de que ela fica em Sitka onde muitas montanhas ficam dentro d’água.” Os cineastas fizeram a ponte entre o exterior de Massachusetts com a Sitka real viajando para o Alasca para capturar a linha de árvores e as montanhas.

[A Proposta] OS FIGURINOS

Julho 10, 2009
A Figurinista Catherine Marie Thomas
Cria o Guarda-Roupa
Texto: Walt Disney Brasil

Os trajes sensacionais e da última moda de Margaret são, diz Bullock, “sua armadura − quanto mais justo, mais severo, preso e endurecido, melhor. Ela sabe que é bonita, mas suas roupas não têm a intenção de fazê-la ficar bonita. Ela está acostumada a usar coisas constritas e fortes para se manter contida. Se você tirá-la da armadura, ela desaba.

A figurinista Catherine Marie (Cat) Thomas tomou como base décadas passadas para desenvolver o guarda-roupa de Margaret. “Eu tive a inspiração de fazer algo com a silhueta dos anos 1940, bem-estruturada, porque Margaret é muito rígida e regimental, e Sandra ficou entusiasmada com isso”, diz Thomas. “Então nosso ponto de partida foi a silhueta dos anos 1940 usada por Katharine Hepburn e Rosalind Russell. Sandra tem belas pernas, então você pode fazer uma saia justa até o joelho; mas, de propósito, nós as fizemos mais longas para que ela ficasse mais contida e fosse obrigada a mudar o modo de andar. Ela adorou isso. Ela é muito física. E não precisava usar saltos de 10 centímetros, mas disse: ‘Não, está ótimo!’ porque quanto mais dor ela sentir, mais seu jeito de andar e sua postura ficarão diferentes.

Não existia nada que pudéssemos usar de lojas de departamento”, continua Thomas. “Criar as roupas para Margaret incluiu construir cada peça de roupa para esta mulher poderosa, que é muito confinada. Tudo tinha a ver com poder, porém tinha que ser feminino ao mesmo tempo.

Thomas gostou particularmente de criar o vestido de noiva de Margaret, uma vez que o roteiro indicava que Margaret usaria o vestido da avó de Andrew. “É um longo com estilo do final dos anos 1920, início dos anos 1930”, explica Thomas. “É bem singular e Sandra e eu ficamos entusiasmadas com o vestido porque é diferente da maioria dos vestidos de noiva.

O personagem de Ryan Reynolds tem dois visuais distintos, explica Thomas. “Anne Fletcher e eu falamos sobre como Andrew é aquele tipo de cara sexy que não precisa fazer esforço para isso. Embora sua família tenha dinheiro, ele está tentando provar seu valor a si mesmo, então, no trabalho, seu visual é muito profissional. Mas quando ele e Margaret partem para o fim de semana, ele usa jeans, camiseta e uma jaqueta, porque, é claro, ele sabe que Sitka é muito casual, muito confortável. Margaret usa um vestido com sapatos de salto alto − é um grande contraste.

Thomas enfrentou um grande desafio para vestir − ou melhor, despir — Ramone de Oscar Nuñez, que faz uma cena como stripper. “Anne usou uma referência dos anos 1980 − um cara que fazia striptease no final dos anos 1980 e nunca parou. Então além da roupa destacável, uma pequena gravata borboleta e punhos, nós acrescentamos tênis Reebok dos anos 1980. Ah, e joelheiras. Esse também foi um toque interessante.

[A Proposta] OS FIGURINOS

Julho 10, 2009
A Figurinista Catherine Marie Thomas
Cria o Guarda-Roupa
Texto: Walt Disney Brasil

Os trajes sensacionais e da última moda de Margaret são, diz Bullock, “sua armadura − quanto mais justo, mais severo, preso e endurecido, melhor. Ela sabe que é bonita, mas suas roupas não têm a intenção de fazê-la ficar bonita. Ela está acostumada a usar coisas constritas e fortes para se manter contida. Se você tirá-la da armadura, ela desaba.

A figurinista Catherine Marie (Cat) Thomas tomou como base décadas passadas para desenvolver o guarda-roupa de Margaret. “Eu tive a inspiração de fazer algo com a silhueta dos anos 1940, bem-estruturada, porque Margaret é muito rígida e regimental, e Sandra ficou entusiasmada com isso”, diz Thomas. “Então nosso ponto de partida foi a silhueta dos anos 1940 usada por Katharine Hepburn e Rosalind Russell. Sandra tem belas pernas, então você pode fazer uma saia justa até o joelho; mas, de propósito, nós as fizemos mais longas para que ela ficasse mais contida e fosse obrigada a mudar o modo de andar. Ela adorou isso. Ela é muito física. E não precisava usar saltos de 10 centímetros, mas disse: ‘Não, está ótimo!’ porque quanto mais dor ela sentir, mais seu jeito de andar e sua postura ficarão diferentes.

Não existia nada que pudéssemos usar de lojas de departamento”, continua Thomas. “Criar as roupas para Margaret incluiu construir cada peça de roupa para esta mulher poderosa, que é muito confinada. Tudo tinha a ver com poder, porém tinha que ser feminino ao mesmo tempo.

Thomas gostou particularmente de criar o vestido de noiva de Margaret, uma vez que o roteiro indicava que Margaret usaria o vestido da avó de Andrew. “É um longo com estilo do final dos anos 1920, início dos anos 1930”, explica Thomas. “É bem singular e Sandra e eu ficamos entusiasmadas com o vestido porque é diferente da maioria dos vestidos de noiva.

O personagem de Ryan Reynolds tem dois visuais distintos, explica Thomas. “Anne Fletcher e eu falamos sobre como Andrew é aquele tipo de cara sexy que não precisa fazer esforço para isso. Embora sua família tenha dinheiro, ele está tentando provar seu valor a si mesmo, então, no trabalho, seu visual é muito profissional. Mas quando ele e Margaret partem para o fim de semana, ele usa jeans, camiseta e uma jaqueta, porque, é claro, ele sabe que Sitka é muito casual, muito confortável. Margaret usa um vestido com sapatos de salto alto − é um grande contraste.

Thomas enfrentou um grande desafio para vestir − ou melhor, despir — Ramone de Oscar Nuñez, que faz uma cena como stripper. “Anne usou uma referência dos anos 1980 − um cara que fazia striptease no final dos anos 1980 e nunca parou. Então além da roupa destacável, uma pequena gravata borboleta e punhos, nós acrescentamos tênis Reebok dos anos 1980. Ah, e joelheiras. Esse também foi um toque interessante.

[A Proposta] OS FIGURINOS

Julho 10, 2009
A Figurinista Catherine Marie Thomas
Cria o Guarda-Roupa
Texto: Walt Disney Brasil

Os trajes sensacionais e da última moda de Margaret são, diz Bullock, “sua armadura − quanto mais justo, mais severo, preso e endurecido, melhor. Ela sabe que é bonita, mas suas roupas não têm a intenção de fazê-la ficar bonita. Ela está acostumada a usar coisas constritas e fortes para se manter contida. Se você tirá-la da armadura, ela desaba.

A figurinista Catherine Marie (Cat) Thomas tomou como base décadas passadas para desenvolver o guarda-roupa de Margaret. “Eu tive a inspiração de fazer algo com a silhueta dos anos 1940, bem-estruturada, porque Margaret é muito rígida e regimental, e Sandra ficou entusiasmada com isso”, diz Thomas. “Então nosso ponto de partida foi a silhueta dos anos 1940 usada por Katharine Hepburn e Rosalind Russell. Sandra tem belas pernas, então você pode fazer uma saia justa até o joelho; mas, de propósito, nós as fizemos mais longas para que ela ficasse mais contida e fosse obrigada a mudar o modo de andar. Ela adorou isso. Ela é muito física. E não precisava usar saltos de 10 centímetros, mas disse: ‘Não, está ótimo!’ porque quanto mais dor ela sentir, mais seu jeito de andar e sua postura ficarão diferentes.

Não existia nada que pudéssemos usar de lojas de departamento”, continua Thomas. “Criar as roupas para Margaret incluiu construir cada peça de roupa para esta mulher poderosa, que é muito confinada. Tudo tinha a ver com poder, porém tinha que ser feminino ao mesmo tempo.

Thomas gostou particularmente de criar o vestido de noiva de Margaret, uma vez que o roteiro indicava que Margaret usaria o vestido da avó de Andrew. “É um longo com estilo do final dos anos 1920, início dos anos 1930”, explica Thomas. “É bem singular e Sandra e eu ficamos entusiasmadas com o vestido porque é diferente da maioria dos vestidos de noiva.

O personagem de Ryan Reynolds tem dois visuais distintos, explica Thomas. “Anne Fletcher e eu falamos sobre como Andrew é aquele tipo de cara sexy que não precisa fazer esforço para isso. Embora sua família tenha dinheiro, ele está tentando provar seu valor a si mesmo, então, no trabalho, seu visual é muito profissional. Mas quando ele e Margaret partem para o fim de semana, ele usa jeans, camiseta e uma jaqueta, porque, é claro, ele sabe que Sitka é muito casual, muito confortável. Margaret usa um vestido com sapatos de salto alto − é um grande contraste.

Thomas enfrentou um grande desafio para vestir − ou melhor, despir — Ramone de Oscar Nuñez, que faz uma cena como stripper. “Anne usou uma referência dos anos 1980 − um cara que fazia striptease no final dos anos 1980 e nunca parou. Então além da roupa destacável, uma pequena gravata borboleta e punhos, nós acrescentamos tênis Reebok dos anos 1980. Ah, e joelheiras. Esse também foi um toque interessante.

[A Proposta] ESCALANDO QUÍMICA

Julho 10, 2009
Cineastas Reúnem Elenco Perfeito
para “A Proposta”
Texto: Walt Disney Brasil

Os cineastas convidaram Sandra Bullock para o papel de Margaret nos estágios iniciais. “Ela é muito divertida de se interpretar, porque ela existe em todos nós”, afirma Bullock. “Margaret não tenta retificar o que faz de errado. Ela não pede desculpas. Ela não acha que precisa fazer o mundo gostar dela. Ela tem um trabalho a fazer e ela vai fazer. E tem muito disso em mim.

Eu realmente acho que tenho sorte de tê–la conosco”, afirma o produtor Todd Lieberman sobre Bullock. “Ela é uma atriz fenomenal e pode fazer qualquer papel. Ela é muito boa e tem um talento natural para comédia. As pessoas a adoram mesmo quando interpreta um personagem durão como Margaret.

O produtor David Hoberman acrescenta: “Sandra interpreta um personagem muito engraçado − tem muita comédia física no filme, então ela faz o que seus fãs querem ver. Ela é muito inteligente e tem uma intuição muito boa sobre seu personagem, sobre o roteiro e a comédia.Fletcher ficou igualmente impressionado com ela. “Ela é uma estrela de cinema”, diz a diretora. “Ela vem para o trabalho, sabe porque está lá e faz o que deve ser feito. E a química entre ela e Ryan é inquestionável.

Ryan Reynolds interpreta o humilhado assistente que acaba virando a mesa. E sendo a maioria das cenas com Bullock, a química era essencial. Eles têm um ritmo, têm uma amizade, um modo de se comunicar um com o outro − uma espécie de desafio, um toma lá dá cá”, explica Hoberman sobre Bullock e Reynolds. “Eles encontraram o encaixe dos dois personagens e isso realmente ganhou vida.

Sandra e eu somos amigos há anos − é ótimo trabalhar com uma amiga”, diz Reynolds. “Minha experiência em comédia é que você roda o filme e depois na metade do caminho começa a perceber qual é a sua química com sua colega de cena e tem vontade de voltar atrás e refilmar tudo que já fez. Quando você chega em um set de filmagem no primeiro dia e já tem essa química, como eu e Sandra temos, você nunca passa por isso.

Lieberman diz que os dois atores têm “total comando sobre que significa ser engraçado. Nós temos cenas com a câmera no rosto de Ryan. Ele não diz uma palavra, mas se expressa de cem maneiras engraçadas diferentes. É inacreditável.Um grupo estelar de atores trabalha como co-adjuvante de Bullock e Reynolds. “É um testemunho do excelente roteiro e dos fortes protagonistas que fomos capazes de reunir um fantástico grupo de pessoas”, diz Lieberman.

Praticamente roubando a cena está Betty White como a avó de Andrew “Vovó” Annie. “Ela está fazendo 90 anos e passou a vida toda em Sitka, no Alasca”, conta Chiarelli sobre o personagem de White. “É uma mulher durona que reconhece a dureza de Margaret, e gosta do que vê. Então, embora superficialmente ela e Margaret tenham pouco em comum, elas, na verdade, têm tudo em comum.

O público adora Betty White”, diz Fletcher. “Ela está muito confortável na tela − é um ícone da televisão. Ela tem uma qualidade que faz você gostar dela como pessoa e na tela.

Eu tenho muita sorte de trabalhar o tempo todo, diz White. “Trabalho há 60 anos. Oscar Nuñez interpreta Ramone, um morador de Sitka que parece ter uma enorme variedade de diferentes profissões, incluindo a de stripper. “O nível de comprometimento de Oscar é incrível”, diz Fletcher. Você não consegue tirar os olhos dele e se apaixona perdidamente por ele.

O vencedor do prêmio Tony®, Denis O’Hare, interpreta Gilbertson, o oficial da imigração determinado a provar a farsa do relacionamento dos dois. “Nós fizemos vários testes para Gilbertson”, diz Lieberman. “Denis foi o único que realmente conseguiu. Ele transmitiu uma mistura perfeita de oficial do governo com vulnerabilidade, de tal forma que se podia rir dele. As cenas no prédio do Serviço de Imigração (INS) entre ele, Ryan e Sandra foram muito divertidas.Em um esforço para convencer Gilbertson que seu relacionamento é real, Margaret e Andrew viajam para Sitka, no Alasca para passar o fim de semana com a família de Andrew.

Toda família é maluca”, diz Bullock. “Não importa a aparência externa, tem sempre uma dinâmica meio tensa. Pais e filhos sempre brigam, assim como mães e filhas; e este filme fala muito sobre isso. Essa família é muito complexa, mas muito amorosa e aberta. E Margaret fica encantada com isso. O instante que você vê essas pessoas na tela, percebe que algo está acontecendo ali. Eles discutem, mas continuam unidos como uma família.

Os cineastas escalaram os atores veteranos Craig T. Nelson e Mary Steenburgen como pais de Andrew. Ryan disse que quando era criança ele sempre soube que um dia Craig interpretaria seu pai num filme”, diz Lieberman. “E ele é um pai perfeito para Ryan Reynolds, tanto em tamanho como em sensibilidade.

Para Bullock: “Mary Steenburgen é capaz de equilibrar drama e comédia. Com uma única pequena palavra ela consegue arrancar gargalhadas em uma cena ou fazer você chorar. Mary parece delicada, mas ela não é. Por trás da fragilidade ela é firme e muito consciente do que está fazendo. Ser capaz de fazer isso em uma comédia de modo convincente é algo muito difícil.

Fletcher buscou um rosto familiar quando chegou a hora de escalar Gertrude, a efervescente jovem que Andrew deixa para trás quando vai para Nova York. Malin Akerman, que estrelou em Vestida para Casar (27 Dresses), de Fletcher interpreta o que pode representar uma séria ameaça romântica a Margaret.Gertrude se deu conta de que Andrew foi a melhor coisa que já aconteceu na vida dela”, diz Akerman. “É uma daquelas coisas − você deixa alguém partir e depois vê que foi um grande erro. Agora é difícil vê-lo com essa nova mulher.

Eu fiz vários personagens loucos e desequilibrados no passado”, continua Akerman, “então é bom ser uma garota doce e amável.” Completando o elenco está Aasif Mandvi como Bob Spaulding, o colega de trabalhado que compete com Margaret, e Michael Nouri e Gregg Edelman como funcionários da editora de Margaret que dão a notícia da deportação.

[A Proposta] ESCALANDO QUÍMICA

Julho 10, 2009
Cineastas Reúnem Elenco Perfeito
para “A Proposta”
Texto: Walt Disney Brasil

Os cineastas convidaram Sandra Bullock para o papel de Margaret nos estágios iniciais. “Ela é muito divertida de se interpretar, porque ela existe em todos nós”, afirma Bullock. “Margaret não tenta retificar o que faz de errado. Ela não pede desculpas. Ela não acha que precisa fazer o mundo gostar dela. Ela tem um trabalho a fazer e ela vai fazer. E tem muito disso em mim.

Eu realmente acho que tenho sorte de tê–la conosco”, afirma o produtor Todd Lieberman sobre Bullock. “Ela é uma atriz fenomenal e pode fazer qualquer papel. Ela é muito boa e tem um talento natural para comédia. As pessoas a adoram mesmo quando interpreta um personagem durão como Margaret.

O produtor David Hoberman acrescenta: “Sandra interpreta um personagem muito engraçado − tem muita comédia física no filme, então ela faz o que seus fãs querem ver. Ela é muito inteligente e tem uma intuição muito boa sobre seu personagem, sobre o roteiro e a comédia.Fletcher ficou igualmente impressionado com ela. “Ela é uma estrela de cinema”, diz a diretora. “Ela vem para o trabalho, sabe porque está lá e faz o que deve ser feito. E a química entre ela e Ryan é inquestionável.

Ryan Reynolds interpreta o humilhado assistente que acaba virando a mesa. E sendo a maioria das cenas com Bullock, a química era essencial. Eles têm um ritmo, têm uma amizade, um modo de se comunicar um com o outro − uma espécie de desafio, um toma lá dá cá”, explica Hoberman sobre Bullock e Reynolds. “Eles encontraram o encaixe dos dois personagens e isso realmente ganhou vida.

Sandra e eu somos amigos há anos − é ótimo trabalhar com uma amiga”, diz Reynolds. “Minha experiência em comédia é que você roda o filme e depois na metade do caminho começa a perceber qual é a sua química com sua colega de cena e tem vontade de voltar atrás e refilmar tudo que já fez. Quando você chega em um set de filmagem no primeiro dia e já tem essa química, como eu e Sandra temos, você nunca passa por isso.

Lieberman diz que os dois atores têm “total comando sobre que significa ser engraçado. Nós temos cenas com a câmera no rosto de Ryan. Ele não diz uma palavra, mas se expressa de cem maneiras engraçadas diferentes. É inacreditável.Um grupo estelar de atores trabalha como co-adjuvante de Bullock e Reynolds. “É um testemunho do excelente roteiro e dos fortes protagonistas que fomos capazes de reunir um fantástico grupo de pessoas”, diz Lieberman.

Praticamente roubando a cena está Betty White como a avó de Andrew “Vovó” Annie. “Ela está fazendo 90 anos e passou a vida toda em Sitka, no Alasca”, conta Chiarelli sobre o personagem de White. “É uma mulher durona que reconhece a dureza de Margaret, e gosta do que vê. Então, embora superficialmente ela e Margaret tenham pouco em comum, elas, na verdade, têm tudo em comum.

O público adora Betty White”, diz Fletcher. “Ela está muito confortável na tela − é um ícone da televisão. Ela tem uma qualidade que faz você gostar dela como pessoa e na tela.

Eu tenho muita sorte de trabalhar o tempo todo, diz White. “Trabalho há 60 anos. Oscar Nuñez interpreta Ramone, um morador de Sitka que parece ter uma enorme variedade de diferentes profissões, incluindo a de stripper. “O nível de comprometimento de Oscar é incrível”, diz Fletcher. Você não consegue tirar os olhos dele e se apaixona perdidamente por ele.

O vencedor do prêmio Tony®, Denis O’Hare, interpreta Gilbertson, o oficial da imigração determinado a provar a farsa do relacionamento dos dois. “Nós fizemos vários testes para Gilbertson”, diz Lieberman. “Denis foi o único que realmente conseguiu. Ele transmitiu uma mistura perfeita de oficial do governo com vulnerabilidade, de tal forma que se podia rir dele. As cenas no prédio do Serviço de Imigração (INS) entre ele, Ryan e Sandra foram muito divertidas.Em um esforço para convencer Gilbertson que seu relacionamento é real, Margaret e Andrew viajam para Sitka, no Alasca para passar o fim de semana com a família de Andrew.

Toda família é maluca”, diz Bullock. “Não importa a aparência externa, tem sempre uma dinâmica meio tensa. Pais e filhos sempre brigam, assim como mães e filhas; e este filme fala muito sobre isso. Essa família é muito complexa, mas muito amorosa e aberta. E Margaret fica encantada com isso. O instante que você vê essas pessoas na tela, percebe que algo está acontecendo ali. Eles discutem, mas continuam unidos como uma família.

Os cineastas escalaram os atores veteranos Craig T. Nelson e Mary Steenburgen como pais de Andrew. Ryan disse que quando era criança ele sempre soube que um dia Craig interpretaria seu pai num filme”, diz Lieberman. “E ele é um pai perfeito para Ryan Reynolds, tanto em tamanho como em sensibilidade.

Para Bullock: “Mary Steenburgen é capaz de equilibrar drama e comédia. Com uma única pequena palavra ela consegue arrancar gargalhadas em uma cena ou fazer você chorar. Mary parece delicada, mas ela não é. Por trás da fragilidade ela é firme e muito consciente do que está fazendo. Ser capaz de fazer isso em uma comédia de modo convincente é algo muito difícil.

Fletcher buscou um rosto familiar quando chegou a hora de escalar Gertrude, a efervescente jovem que Andrew deixa para trás quando vai para Nova York. Malin Akerman, que estrelou em Vestida para Casar (27 Dresses), de Fletcher interpreta o que pode representar uma séria ameaça romântica a Margaret.Gertrude se deu conta de que Andrew foi a melhor coisa que já aconteceu na vida dela”, diz Akerman. “É uma daquelas coisas − você deixa alguém partir e depois vê que foi um grande erro. Agora é difícil vê-lo com essa nova mulher.

Eu fiz vários personagens loucos e desequilibrados no passado”, continua Akerman, “então é bom ser uma garota doce e amável.” Completando o elenco está Aasif Mandvi como Bob Spaulding, o colega de trabalhado que compete com Margaret, e Michael Nouri e Gregg Edelman como funcionários da editora de Margaret que dão a notícia da deportação.

[A Proposta] ESCALANDO QUÍMICA

Julho 10, 2009
Cineastas Reúnem Elenco Perfeito
para “A Proposta”
Texto: Walt Disney Brasil

Os cineastas convidaram Sandra Bullock para o papel de Margaret nos estágios iniciais. “Ela é muito divertida de se interpretar, porque ela existe em todos nós”, afirma Bullock. “Margaret não tenta retificar o que faz de errado. Ela não pede desculpas. Ela não acha que precisa fazer o mundo gostar dela. Ela tem um trabalho a fazer e ela vai fazer. E tem muito disso em mim.

Eu realmente acho que tenho sorte de tê–la conosco”, afirma o produtor Todd Lieberman sobre Bullock. “Ela é uma atriz fenomenal e pode fazer qualquer papel. Ela é muito boa e tem um talento natural para comédia. As pessoas a adoram mesmo quando interpreta um personagem durão como Margaret.

O produtor David Hoberman acrescenta: “Sandra interpreta um personagem muito engraçado − tem muita comédia física no filme, então ela faz o que seus fãs querem ver. Ela é muito inteligente e tem uma intuição muito boa sobre seu personagem, sobre o roteiro e a comédia.Fletcher ficou igualmente impressionado com ela. “Ela é uma estrela de cinema”, diz a diretora. “Ela vem para o trabalho, sabe porque está lá e faz o que deve ser feito. E a química entre ela e Ryan é inquestionável.

Ryan Reynolds interpreta o humilhado assistente que acaba virando a mesa. E sendo a maioria das cenas com Bullock, a química era essencial. Eles têm um ritmo, têm uma amizade, um modo de se comunicar um com o outro − uma espécie de desafio, um toma lá dá cá”, explica Hoberman sobre Bullock e Reynolds. “Eles encontraram o encaixe dos dois personagens e isso realmente ganhou vida.

Sandra e eu somos amigos há anos − é ótimo trabalhar com uma amiga”, diz Reynolds. “Minha experiência em comédia é que você roda o filme e depois na metade do caminho começa a perceber qual é a sua química com sua colega de cena e tem vontade de voltar atrás e refilmar tudo que já fez. Quando você chega em um set de filmagem no primeiro dia e já tem essa química, como eu e Sandra temos, você nunca passa por isso.

Lieberman diz que os dois atores têm “total comando sobre que significa ser engraçado. Nós temos cenas com a câmera no rosto de Ryan. Ele não diz uma palavra, mas se expressa de cem maneiras engraçadas diferentes. É inacreditável.Um grupo estelar de atores trabalha como co-adjuvante de Bullock e Reynolds. “É um testemunho do excelente roteiro e dos fortes protagonistas que fomos capazes de reunir um fantástico grupo de pessoas”, diz Lieberman.

Praticamente roubando a cena está Betty White como a avó de Andrew “Vovó” Annie. “Ela está fazendo 90 anos e passou a vida toda em Sitka, no Alasca”, conta Chiarelli sobre o personagem de White. “É uma mulher durona que reconhece a dureza de Margaret, e gosta do que vê. Então, embora superficialmente ela e Margaret tenham pouco em comum, elas, na verdade, têm tudo em comum.

O público adora Betty White”, diz Fletcher. “Ela está muito confortável na tela − é um ícone da televisão. Ela tem uma qualidade que faz você gostar dela como pessoa e na tela.

Eu tenho muita sorte de trabalhar o tempo todo, diz White. “Trabalho há 60 anos. Oscar Nuñez interpreta Ramone, um morador de Sitka que parece ter uma enorme variedade de diferentes profissões, incluindo a de stripper. “O nível de comprometimento de Oscar é incrível”, diz Fletcher. Você não consegue tirar os olhos dele e se apaixona perdidamente por ele.

O vencedor do prêmio Tony®, Denis O’Hare, interpreta Gilbertson, o oficial da imigração determinado a provar a farsa do relacionamento dos dois. “Nós fizemos vários testes para Gilbertson”, diz Lieberman. “Denis foi o único que realmente conseguiu. Ele transmitiu uma mistura perfeita de oficial do governo com vulnerabilidade, de tal forma que se podia rir dele. As cenas no prédio do Serviço de Imigração (INS) entre ele, Ryan e Sandra foram muito divertidas.Em um esforço para convencer Gilbertson que seu relacionamento é real, Margaret e Andrew viajam para Sitka, no Alasca para passar o fim de semana com a família de Andrew.

Toda família é maluca”, diz Bullock. “Não importa a aparência externa, tem sempre uma dinâmica meio tensa. Pais e filhos sempre brigam, assim como mães e filhas; e este filme fala muito sobre isso. Essa família é muito complexa, mas muito amorosa e aberta. E Margaret fica encantada com isso. O instante que você vê essas pessoas na tela, percebe que algo está acontecendo ali. Eles discutem, mas continuam unidos como uma família.

Os cineastas escalaram os atores veteranos Craig T. Nelson e Mary Steenburgen como pais de Andrew. Ryan disse que quando era criança ele sempre soube que um dia Craig interpretaria seu pai num filme”, diz Lieberman. “E ele é um pai perfeito para Ryan Reynolds, tanto em tamanho como em sensibilidade.

Para Bullock: “Mary Steenburgen é capaz de equilibrar drama e comédia. Com uma única pequena palavra ela consegue arrancar gargalhadas em uma cena ou fazer você chorar. Mary parece delicada, mas ela não é. Por trás da fragilidade ela é firme e muito consciente do que está fazendo. Ser capaz de fazer isso em uma comédia de modo convincente é algo muito difícil.

Fletcher buscou um rosto familiar quando chegou a hora de escalar Gertrude, a efervescente jovem que Andrew deixa para trás quando vai para Nova York. Malin Akerman, que estrelou em Vestida para Casar (27 Dresses), de Fletcher interpreta o que pode representar uma séria ameaça romântica a Margaret.Gertrude se deu conta de que Andrew foi a melhor coisa que já aconteceu na vida dela”, diz Akerman. “É uma daquelas coisas − você deixa alguém partir e depois vê que foi um grande erro. Agora é difícil vê-lo com essa nova mulher.

Eu fiz vários personagens loucos e desequilibrados no passado”, continua Akerman, “então é bom ser uma garota doce e amável.” Completando o elenco está Aasif Mandvi como Bob Spaulding, o colega de trabalhado que compete com Margaret, e Michael Nouri e Gregg Edelman como funcionários da editora de Margaret que dão a notícia da deportação.

[A Proposta] COMÉDIA É O PRINCIPAL

Julho 10, 2009
Cineastas Encontram Muitas Gargalhadas
em “A Proposta”

Texto: Walt Disney Brasil


Havia um elemento acima de todos os outros que atraiu a diretora Anne Fletcher para A Proposta. “Eu adoro tanto comédia e ela sempre esteve em mim”, diz Fletcher. “Fiz parte de grupos cômicos e de improviso. Comédia me faz muito feliz. Depois de dirigir Ela Dança, Eu Danço (Step Up), meu objetivo era fazer uma comédia. Mas não se pode simplesmente ir lá e fazer. Você tem que provar que é capaz.” Fletcher provou que era capaz com a comédia romântica de 2008 Vestida para Casar (27 Dresses). “Eu tinha que exercitar um pouco o meu lado cômico e então apareceu A Proposta (The Proposal), e tinha muita comédia”, diz a diretora. “Sandra Bullock é um gênio cômico. Não existe ninguém no nível dela. Fiquei totalmente maravilhada com o profissionalismo, o talento, a mente, a maneira de ser e o senso de humor dela. E Ryan Reynolds é único − Jack Lemmon e Chevy Chase combinaram.

O produtor Todd Lieberman ficou encantado com a premissa do filme. “O que realmente me tocou foi o conceito do relacionamento entre um jovem e uma mulher mais velha. A dinâmica entre os dois personagens é realmente engraçada”, diz Lieberman. “Lá estava um assistente que a vida inteira sonhou em ser editor. Ele se muda para Nova York e começa a trabalhar com essa chefe detestável.

Margaret Tate, também conhecida como a ‘chefe detestável’, intrigou Fletcher. “Margaret começa como uma mulher rígida e arrogante que só pensa no trabalho e quer chegar ao topo e esse é seu único objetivo na vida”, conta a diretora. “Quando você analisa mais profundamente, percebe que ela tem muitos defeitos. Margaret começa bem dura, mas no decorrer do filme ela se torna ela mesma outra vez.

O escritor Peter Chiarelli vê Margaret como uma executiva muito competente. “Mas como mulher ela teve que manter essa aparência de alguém que tem controle o tempo todo, para que nunca parecesse fraca”, diz Chiarelli. “Isso mexe com ela. Ela sacrificou muito para ter sucesso. O relacionamento mais próximo que ela tem na vida é com seu assistente.

Eu tirei a idéia da experiência de trabalho em Hollywood com esses executivos de sucesso e seus assistentes”, continua Chiarelli: “Eles têm um relacionamento íntimo − embora os chefes não saibam absolutamente nada sobre os assistentes. Minha prioridade sempre foi ir para a comédia.Então, conta Chiarelli, ele baseou a história no que aconteceria se um desses chefes tivesse que cair na real. Margaret Tate é essa chefe.

Margaret foi escrita do modo como normalmente são escritos papéis masculinos, que quase sempre são os mais saborosos”, diz Sandra Bullock, que interpreta Margaret. “Eles podem ser complexos, feios, chatos, difíceis, divertidos e engraçados, e esse não é o modo como personagens femininos são escritos.O colega de tela Ryan Reynolds concorda: “Normalmente, as comédias são guiadas por homens. Eu adoro quando é o inverso. Neste filme, o personagem da Sandra é o opressor.

Mas Reynolds, que interpreta Andrew, o assistente, afirma que ele gostou da ideia de um opressor fora de sua zona de conforto. “Esta mulher, que é tão do tipo A, é levada para o meio do Alasca com seu assistente. Ela passou três anos com ele, mas não sabe nada sobre ele, incluindo de onde ele veio. É realmente muito engraçado quando ela chega à pequena comunidade e se transforma num peixe fora d’água.

Você logo descobre que a pessoa dominante não é realmente ela − Andrew é quem tem o controle”, conta Bullock. “Isso surpreende até mesmo Margaret. Ela dependeu tanto dele nos últimos anos que, sem ele, ela não é capaz de realizar seu trabalho − é por isso que ela não quer que ele progrida em sua carreira. O homem capaz de domar uma megera não precisa ter um chicote e nem falar alto. Ele sabe exatamente porque ela é desse jeito.

Eu vejo Andrew como um cara nobre”, diz Chiarelli. “Ele poderia ter seguido o caminho mais fácil, ficado no Alasca, feito o que se esperava dele e trabalhado nos negócios da família, mas, em vez disso, ele preferiu seguir seu próprio caminho. Ele não está pedindo nenhum favor de ninguém; na verdade, ele tem um emprego difícil porque sabe que isso o proporcionará a melhor experiência.

No início do filme, Margaret não sabe nada sobre ele”, continua Chiarelli. “Então para ela, há muito a descobrir. Ela entende que ele é uma pessoa que tomou a decisão mais difícil para atingir seu objetivo no ramo da edição de livros, que é similar à forma com que Margaret começou sua carreira.

O filme me faz lembrar comédias bem construídas que, por acaso, falavam de relacionamentos que fracassavam, davam certo e fracassavam de novo − e não se escreve mais assim”, diz Bullock: “O modo como Anne Fletcher monta a cena, Oliver Stapleton a ilumina e a paisagem é usada na comédia, faz você perceber que não estamos fazendo uma comédia romântica leve e superficial. Eu acho que uma comédia maluca − e não romântica − é o modo certo de descrever o filme.

A direção de Fletcher e o roteiro de Chiarelli encontraram um equilíbrio certo entre a comédia física e sofisticada do filme. “Todos neste filme fazem comédia direta”, diz White. “Eles não dizem: ‘Ei, essa é uma frase engraçada, você viu?’ Eles apenas dizem de um modo verdadeiro e isso é que é engraçado.

É como I Love Lucy”, acrescenta Akerman. “Os atores não estão tentando ser engraçados, mas é muito engraçado, perspicaz e afiado.Os cineastas se inspiraram em algumas comédias eternas do passado. “É um filme que flui como acontecia com as grandes comédias dos anos 1940 e 1950 com Cary Grant e Jack Lemmon”, diz o produtor Hoberman. “Embora tenha muitos diálogos, eles são rápidos. Uma das coisas que queríamos era que Sandra e Ryan terminassem as frases um do outro. É um relacionamento de amor e ódio que prende você durante todo o tempo.